A culpa é da banca examinadora…


Muitos alunos me procuram com questionamentos sobre a qualidade das questões de concurso. Reclamam que são mal elaboradas, com redação ambígua e geralmente, com alternativas esdrúxulas que não correspondem de forma alguma ao que vivenciamos na prática clínica ou aplicada da psicologia.
Já ouvi várias vezes: “Mas esse povo da banca nunca atendeu, nunca trabalhou com psicologia!!!”
Estão certos! As questões de concurso não são, mesmo, em nada parecidas com o que vivenciamos no consultório ou em nossos cursos de aperfeiçoamento, graduação e pós-graduações. E nunca serão!
O momento de responder uma prova de concurso é um grande desafio para o psicólogo. Isso porque somos “treinados” a estudar questionando conceitos, refletindo de maneira dialética com as teorias e técnicas da psicologia. Contudo, as questões de concurso são, em geral, superficiais e lineares, não dialogam, não se abrem a reflexão ou à interpretações subjetivas.
Quase sempre, uma questão de concurso “grita” pela alternativa a ser marcada. A questão é que o candidato da psicologia tende a questionar mesmo o gabarito, não aceita que caiu no “pega” e adota uma postura do tipo “essa banca é muito incompetente”… Só que isso não leva à aprovação.
Para ter sucesso em concursos públicos a atitude deve ser, pelo menos num primeiro momento, de aceitação da questão. É preciso adotar o enunciado como uma verdade. Não é hora de questionar construtos, bases epstemiológicas. É o momento de acessar na memória o conteúdo estudado e identificar nas alternativas aquela que não contém termos clássicos errados ou mesmo aquelas palavras proibidas em questões de concurso, como “sempre”, “nunca”, “somente”, etc.
Assim, quando um aluno me procura com a reclamação que se saiu mal na prova porque as questões eram muito mal elaboradas, costumo responder: A questão é sempre bem elaborada, tanto que você errou. A banca ganhou de você!
Da próxima vez que fizer uma prova de concurso, lembre-se de que para você ganhar, a questão tem que estar mal-elaborada, tanto que você identifique suas falhas e acerte o gabarito!

Instrutora e proprietário do Preparatório para Concursos Marina Cançado.